Por que os jogos são importantes na vida adulta?

Eu nunca fui muito ligado a videogames. Quando criança, eu tive um Mega Drive 3 e amava jogar Sonic. Minha única reclamação estava relacionada a retornar do início toda vez que eu perdia as vidas daquele bicho veloz e azul. Isso acontecia com frequência. Sorte dos meus amigos com o Super Mario – da Nintendo, que era apenas retomar da última fase, ou melhor, do “último mundo aberto”. Quem tem entre 30 – 40 anos sabe bem do tipo de velharia que estou falando.