Você já experimentou sentar no balcão de um bar sozinho, pedir uma cerveja e apenas observar o local e as pessoas que fazem parte dele? Lhe convido para tal experiência.

Talvez você, que não consuma álcool, se sinta excluído nesse ponto, todo caso se imagine sozinho em um ambiente público qualquer. Pode pedir água, suco, refrigerante ou nada. A decisão é sua.

Em minha defesa, a boemia e a paixão pela cerveja não me permitem fugir ao exemplo do bar, portanto, minhas sinceras desculpas.

O fato que quero destacar não está associado à bebida que você escolheu e sim ao espaço, ou melhor, às pessoas que fazem parte dele e de um pequeno trecho da história de cada um de vocês.

Lembre-se do objetivo do primeiro parágrafo: observar pessoas e o ambiente.

É feio, não vou mentir, mas preste atenção aos diálogos que ocorrem à sua volta.

Aqui vai uma dica: se as pessoas estiverem conversando em voz baixa, siga adiante, não dê atenção. Se fizer o contrário, poderá causar uma confusão tamanha.

O foco aqui está naquelas conversas em que as pessoas queiram que todos ouçam suas indagações.

É possível a diferenciação, certo?

Parece que existe uma competição para ver quem está mais ferrado, não é mesmo?

Às vezes eu penso que as pessoas disputam para ver quem está mais na merda.

“Eu não aguento mais o meu chefe”, diz um, logo interrompido pelo outro, que trabalha em outra empresa, outro tipo de mercado “cara, nem me fala, o meu fica pegando no meu pé diariamente. Tudo que eu entrego, ele reclama.”

“Eu não aguento mais o meu casamento. Todo dia é briga, a gente mal se fala”, em seguida alguém comenta “pois é, eu também estou pensando em me separar”.

Será que tá todo mundo na mesma merda ou está claro que há uma disputa para ver quem está pior?

É instintivo, alguém começa a falar o seu problema e de repente, já estamos salivando, automaticamente, deixando de escutar aquilo que o outro tem a oferecer, pensando em contar o quanto a gente está fodido.

Sabe o que é pior?

Quando não está observando, é você repetindo os mesmos comportamentos. Ou melhor, nós.

um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: